quinta-feira, 22 de abril de 2010

Votorantim vai subsidiar coleta seletiva

Moradores de Votorantim estão
sendo cadastrados para a coleta seletiva

Cruzeiro On Line




A Prefeitura de Votorantim vai subsidiar o sistema de coleta seletiva da cidade. No entanto, os valores e a forma como isso vai ocorrer só serão definidos com o início da operação do novo Programa Municipal de Coleta Seletiva, que será lançado oficialmente nesta 5ª feira (22). Outra mudança será a exclusão dos tradicionais carrinhos (de tração humana), que agora serão substituídos por caminhões, com os catadores visitando, de porta em porta, as casas cadastradas. O investimento inicial do município foi de R$ 300 mil, com a construção de novo centro de triagem com dois galpões e todos equipamentos necessários. Houve ainda a aquisição de um caminhão, com verba de R$ 110 mil, vinda do Governo do Estado de São Paulo.


Com o novo sistema de coleta seletiva, a cidade espera aumentar, até o final do ano, em quase oito vezes a quantidade de material reciclável arrecadado pelos cooperados. Atualmente, a Cooperativa de Votorantim (Coopervot) consegue captar apenas 4%, ou seja, 2,2 das 55 toneladas dispensadas por dia. A meta até dezembro deste ano é atingir 30%, chegando a 16,5 toneladas diária. A intenção é aumentar essa coleta ano a ano, gradativamente, com 33 toneladas (60%) diárias em 2011 e 46,75 toneladas (85%) em 2012.


Para isso, o novo centro de triagem já está pronto e falta apenas a chegada dos equipamentos para iniciar as atividades. Além do já existente veículo, o município adquiriu, com verba do Fundo Estadual de Prevenção e Controle da Poluição (Fecop), outro caminhão. A meta, para chegar aos 100% da cidade, é conseguir recursos do Estado para aquisição de mais 2 caminhões. “Acredito que no máximo em 90 dias já estaremos com o novo centro de triagem em funcionamento, com a chegada de todos os equipamentos, como prensa, balança, entre outros”, disse o secretário do Meio Ambiente, Elzo Savella.


Antigamente, a coleta era feita pelos carrinhos de tração humana e o material ficava abrigado num local específico, em que um único caminhão levava o reciclável até os dois centros de triagem existentes, Vila Garcia e Jardim Serrano. A partir de agora começa o cadastramento das residências, com visita aos domicílios que querem aderir ao novo programa. Realizado este trabalho, os 34 catadores passarão nos bairros de acordo com calendário periódico adotado para coletar o material com o auxílio dos caminhões. Desde o início da semana, eles já percorreram os bairros da Vila Garcia, Jardim Toledo, Jardim Archila, Ângelo Vial e Jardim São Luís. Até o momento, mais de 780 famílias já foram cadastradas.


“Antigamente era tração humana e não tinha uma frequência regular. Agora a coleta será com dois caminhões e a idéia é passar em cada domicílio uma vez por semana, com período (manhã ou tarde) já estabelecido”, diz o secretário. A prefeitura ainda busca alternativas, além da conscientização, para fazer com que a população se cadastre no programa de coleta seletiva. Uma das formas é dar incentivos fiscais, como por exemplo, desconto no Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) para munícipes que se inserirem no sistema.


Subsídio


O secretário do Meio Ambiente, Elzo Savella, explicou que esse subsídio por parte do poder público será necessário nesta primeira fase, tendo em vista que atualmente, em virtude da crise do ano passado que afetou o preço dos produtos recicláveis, a cooperativa não se sustenta financeiramente. O valor será definido com a operação do sistema e de qual será efetivamente a necessidade.


A intenção do projeto ainda é dar mais condições de trabalho aos catadores, aumentando a renda com o volume maior de produto reciclável arrecadado, fazendo com que os cooperados não abandonem o sistema de coleta seletiva. Como exemplo, Savella citou o pré e pós crise, em que a Coopervot chegou a ter 40 catadores no época auge de 2001 até 2008 e passou a ter 20 desde o ano passado. “O número era muito flutuante de cooperados e queremos consolidar a participação deles no processo”.


A mudança no antigo método de coleta seletiva surgiu de uma lei do prefeito Carlos Augusto Pivetta (PT) aprovada na Câmara de Votorantim em julho de 2009 e será efetivada no plano de gerenciamento, formalizada por intermédio de decreto do Executivo. A publicação no Diário Oficial do Município deve acontecer no dia 30 de abril. O sistema de coleta seletiva é uma exigência do Governo Federal, com a verba de R$ 2 milhões, destinada para a construção do aterro sanitário, inaugurado em março do no ano passado. O município, por sua parte, entrou com uma contrapartida de R$ 500 mil. (Por Wilson Gonçalves Júnior)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Ouça a Rádio Cultura Votorantim