segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Prefeito de Votorantim fala sobre greve na Santa Casa e nega débitos

Jornal Ipanema


Diego Gama/Jornal Ipanema Online


O prefeito de Votorantim, Erinaldo Alves da Silva (PSDB), participou, nesta segunda-feira (22), do Jornal da Ipanema, da Rádio Ipanema, e negou que a prefeitura tenha débitos com a Santa Casa de Votorantim, cuja greve dos funcionários acontece em frente ao hospital, que está sendo gerido pelo Executivo. "A prefeitura, posso lhe garantir, não tem um centavo pendente com a Santa Casa. Pelo contrário, pagou até antecipado estes últimos dias de contrato", afirmou.

De acordo com Silva, antigamente, o repasse mensal para a Santa Casa era de R$ 660 mil. Procurada pela diretoria da unidade, a prefeitura elevou o repasse para R$ 798 mil. "A Santa Casa ainda entendeu que era insuficiente. Queriam R$ 900 mil, mas esses valores nós não poderíamos fazer, por conta dos limites da lei federal", informou.

"Não esperávamos que esse fator chegasse nessa proporção. A Santa Casa não é uma instituição filantrópica subsidiada, onde o subsídio se tornou insuficiente. Ela é uma prestadora de serviço", comentou, ainda, o prefeito.

Nesta terça-feira (23), a Santa Casa vai passar a ser gerida pelo Instituto Moriah.


Ouça: http://www.jornalipanema.com.br/noticias/regiao/53190-prefeito-de-votorantim-fala-sobre-greve-na-santa-casa-e-nega-debitos

TJ determina que escolas públicas tenham cuidador e tradutor de Libras

Notícia publicada na edição de 22/09/14 do Jornal Cruzeiro do Sul, na página 004 do caderno A 
Wilson Gonçalves Júnior


Escolas municipais e estaduais deverão ter nos seus quadros de funcionários os Tradutores da Língua Brasileira de Sinais (Libras), além dos cuidadores - ADIVAL B. PINTO / ARQUIVO JCS (30/9/2013)



O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ/SP) determinou que, em Votorantim, todas as crianças com deficiência (de qualquer tipo) matriculadas em escolas da rede pública de ensino - tanto do município como do Estado - tenham cuidadores e tradutores da Linguagem Brasileira de Sinais (Libras). A decisão manteve a condenação em primeiro grau na Vara Criminal de Votorantim, com a obrigação de contratação de funcionários especializados e a ação civil pública foi proposta pelo Ministério Público do Estado de São Paulo (MP/SP), em agosto de 2011. O caso transita em segredo de Justiça e a multa pelo descumprimento da decisão é de R$ 1 mil por dia.

A promotora Fabiana Dal Mas Rocha Paes disse que tomou conhecimento da decisão do TJ/SP recentemente e que a Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo entrou com recurso extraordinário na Justiça. De acordo com ela, a ação começou com reclamações pontuais, de duas crianças, porém foi constatado pelo Ministério Público que a falta desses profissionais (cuidadores e tradutor de Libras) era a realidade tanto na rede estadual como na municipal de ensino público na Comarca de Votorantim.

Prefeitura e Diretoria de Ensino

A Prefeitura de Votorantim informou, por meio de nota, que se manifestará judicialmente. Já a Diretoria Regional de Ensino de Votorantim, responsável pelas escolas estaduais, informa que toda a demanda de cuidadores e também de intérpretes de Libras é atendida em suas unidades na região. Pelos cuidadores, segundo o órgão, são atendidos estudantes com deficiência que não têm autonomia para atividades como deslocamento, alimentação e higiene. O critério é que cada profissional atenda a três alunos da rede estadual. Na região, ainda de acordo com a Diretoria Regional de Ensino, há 17 cuidadores para atender 18 estudantes e 15 intérpretes de Libras para 18 alunos com deficiência auditiva.

MP receberá denúncias

A promotora Fabiana Paes informou que as mães ou pais cujos filhos não estejam sendo atendidos pela determinação judicial devem procurar o Ministério Público de Votorantim, situado no piso superior do Fórum da cidade, que fica na avenida Luiz do Patrocino Fernandes, 762. O Estado e o município têm dez dias, após pedido dos pais, para providenciar a contratação. A representante do MP disse ainda que tentará com os órgãos competentes a resolução do problema administrativamente, com a contratação dos cuidadores e dos tradutores de Libras. Porém, em caso de descumprimento, vai pedir a execução da multa diária estabelecida pela Justiça. Em último recurso, admitiu a promotora, será pedido o bloqueio de bens do Estado e do município para garantir o valor da multa. "Na verdade, queremos que a decisão, com acórdão do Tribunal de Justiça, seja cumprida. Queremos a contratação dos profissionais e que as crianças tenham os cuidadores e o tradutor de libras."

Segundo a promotora, no acórdão (decisão) do TJ os desembargadores indicaram que o projeto de cuidadores não foi implementado a contento na Comarca de Votorantim. A representante do MP disse ainda que a decisão aborda também todas as unidades municipais, inclusive as creches. Ela acrescentou ainda que não executou nenhuma multa. "O Estado recorreu e o caso transitou em julgado para o município já."

De acordo com o censo de 2013 do Ministério da Educação, Votorantim possui 47 escolas municipais e 14 escolas estaduais.

Síndrome de Down


No dia 11 de setembro, o jornal Cruzeiro do Sul publicou uma reportagem com o caso de uma mãe que conseguiu, na Justiça, que a filha de 4 anos, com Síndrome de Down, tivesse direito a uma cuidadora para frequentar as aulas numa escola municipal de Votorantim. A decisão não foi cumprida de imediato e houve a necessidade da juíza da Vara Criminal de Votorantim, Karla Peregrino Sotilo, interceder judicialmente e arbitrar multa de R$ 5 mil, que iria reincidir a cada 30 dias e seria revertida em favor da requerente.

De acordo com a mãe da criança, a menina voltou a frequentar a escola há quatro semanas, depois de ficar três meses afastada. "Ela ama o parquinho e ela é outra pessoa depois que voltou à escola. Ela voltou a dormir de dia e de noite e progrediu muito", disse a mãe, na ocasião.

Ocorrência

Tráfico de Drogas/Ato Infracional

Em 21 de setembro, às 11h504min, no município de Votorantim, os Policiais Militares Sargento Brisida, Cabo Capelli e Soldado Adilson, equipe em patrulhamento pelo bairro Novo Mundo, quando deparou com o sindicado M.H.S.S. de 17 anos de idade em atitudes suspeita, o qual foi abordado. Durante revista pessoal foi localizado 03 porções de maconha e a quantia de R$ 95,00 em espécie, indagado a respeito informou que a droga e o dinheiro seriam provenientes de tráfico de drogas. Realizado diligências em sua residência, localizado em seu quarto mais 52 porções de maconha. Diante dos fatos dados e parte conduzida á delegacia, onde foi elaborado o boletim de ocorrência de Tráfico de Drogas/ Ato infracional, sindicado liberado ao seu genitor.

SEÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL
QUADRAGÉSIMO BATALHÃO DE POLICIA MILITAR DO INTERIOR
VOTORANTIM - SP

domingo, 21 de setembro de 2014

Funcionários do hospital de Votorantim ameaçam greve

 iG Paulista - 21/09/2014 - 20h03 |
Eloy de Oliveira | igpaulista@rac.com.br
 
Os funcionários do Hospital Municipal de Votorantim (SP), na região de Sorocaba, ameaçam entrar em greve nesta segunda-feira (22). A decisão ocorreu porque não houve acordo na reunião de sexta-feira (19).

O encontro para discutir as reivindicações dos trabalhadores foi mediado pelo Ministério Público do Trabalho. Eles querem que a Prefeitura pague 40% de multa pela demissão de 148 funcionários.

As dispensas aconteceram porque, a partir de terça-feira (23), o hospital será administrado pelo Instituto Moriah. Os funcionários que não serão aproveitados tiveram de deixar o trabalho. O problema é que a Santa Casa, responsável pela administração atualmente, não tem dinheiro para as indenizações. Como o hospital é municipal, os funcionários querem que a Prefeitura assuma.
 
Pelo entendimento de sexta-feira, a greve deverá parar 70% dos trabalhadores. Isto porque a legislação exige que 30% mantenham o serviço em operação para não prejudicar a população.

Alunos arrecadam cabelos para confecção de perucas destinadas a crianças com câncer

Jornal Cruzeiro do Sul
Jéssica Nascimento
programa de estágio


Em quase duas semanas de mobilização, mais de 20 pessoas já doaram seus cabelos para a campanha 


  A professora Tatiane Reis e a diretora Priscila Camillo Pereira - PEDRO NEGRÃO


Com objetivo de destinar cabelos para a confecção de perucas para crianças com câncer, alunos de 9 e 10 anos do 4º ano do ensino fundamental da Escola Municipal Maria Helena de Moraes Scripillitti, na Vila Votocel, em Votorantim, estão organizando uma campanha solidária. Em quase duas semanas de mobilização, mais de 20 pessoas já doaram seus cabelos. Com os slogans "Doe cabelo e devolva um sorriso" e "Mude o seu visual e ajude uma criança com câncer", estudantes e familiares estão se motivando a participar da ação, como a aluna Letícia Rocha Silva, 9 anos, que cortou o cabelo na primeira semana da campanha. "Deve ser difícil para elas ficar sem cabelo. O meu cabelo era bem comprido, chegava na cintura. Vai dar uma peruca bem longa. As crianças vão gostar e ficar feliz. Isso é uma mudança na vida delas", afirma.

Segundo a professora Tatiane Reis, que organizou o projeto, a ideia surgiu a partir de uma atividade da apostila de Português sobre gêneros textuais, que propunha a leitura de textos publicitários de campanhas de voluntariado. "Estávamos decidindo qual tema a ação poderia ter. Uma aluna solicitou esse tema, pois lembrou de ter visto uma foto minha, em uma rede social, de quando doei meu cabelo para outra campanha, no começo do ano. Fizemos uma votação e a maioria concordou", conta.

Tatiane diz que os 28 alunos participaram da realização da campanha. "Tudo foi realizado pelos alunos. Eles criaram os slogans, as ilustrações do folheto e estão divulgando para os familiares, vizinhos e amigos", explica.

A professora diz que o projeto começou pequeno e está crescendo cada vez mais. "O que era para acontecer dentro da sala de aula se expandiu para fora. Os alunos estão arrecadando muitas doações", destaca. Conforme Tatiane, as doações serão destinadas ao Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil (Gpaci), em Sorocaba. "Pelo sucesso que a campanha está fazendo, não sabemos quantas doações iremos arrecadar até o dia 30 de novembro, quando os cabelos serão entregues ao hospital", diz.

A diretora da escola, Priscila Camillo Pereira, ficou impressionada com a evolução da ação. "A campanha está crescendo bastante. A princípio, os alunos iriam ver se conheciam pessoas que iriam cortar o cabelo e perguntar se queriam doar. Agora, os próprios alunos estão cortando os cabelos para doar. Até os familiares estão participando", ressalta.

Um ato de solidariedade

Como um ato solidário, algumas alunas da escola já fizeram a doação para ajudar outras crianças. Bianca Thaís Rodrigues, 10, disse que resolveu colaborar com o projeto quando lembrou das crianças que têm câncer. "Elas ficam carequinhas e sem sobrancelha. Eu fiquei com dó e queria ajudar. Acho que elas vão ficar muito felizes e bonitas", supõe. Yasmin Brito Soares Lucena, 8, também cortou os cabelos para ajudar. "Eu pensei nas menininhas com câncer e fiquei com muito dó. Então resolvi cortar meu cabelo", conta. Yasmim disse que vai poder ajudar mais de uma criança. "Um amigo meu que trabalhava na escola disse que meu cabelo era tão grande que dava para fazer três perucas", conta entusiasmada.

Algumas alunas ainda estão aderindo à campanha. Fabiana Aparecida Marcondes, 10, e Maria Clara Rosa Machado, 9, iriam cortar os cabelos ontem. "Assim também podemos ajudar as crianças com câncer. Vamos cortar na altura do ombro. Acho que dá para fazer duas perucas com nossos cabelos", dizem. Os meninos também participam da campanha, divulgando para amigos e familiares.

Segundo a professora, após a arrecadação de cabelos, a campanha vai continuar com uma outra ação. "Na segunda-feira estive no Gpaci e eles me disseram que faltam profissionais voluntários para confeccionar as perucas para as crianças. Então, vamos realizar uma segunda etapa na ação, para encontrar cabeleireiros que se interessem em contribuir", destaca Tatiane.

Permissão dos pais
Os cabelos não são cortados na escola. Os alunos interessados em doar os cabelos recebem a orientação para conversar com os pais em casa para pedir autorização para cortar o cabelo. Os pais também estão se comovendo com a campanha, quando os alunos explicam o objetivo. Algumas mães de estudantes também demonstraram interesse em participar.

Para doar

Para contribuir com a ação é preciso doar pelo menos dez centímetros de cabelo. Os cabelos com química também são aceitos. O cabelo cortado deve estar dentro de um saco plástico, amarrado com um elástico. A doação pode ser entregue a qualquer aluno do 4º ano A ou diretamente na secretaria da escola. O folheto elaborado pelos alunos possui os passos para quem deseja participar. Interessados em ajudar a divulgar podem ir buscar os folhetos na escola, localizada na rua Eugênio Ildefonso, 111, na Vila Votocel, em Votorantim. Quem colaborou com a campanha pode enviar uma foto segurando o cabelo cortado no e-mail tatireis.82@gmail.com, para receber um certificado com o agradecimento das crianças. (Supervisão: Daniela Jacinto)

Semana Municipal do Meio Ambiente - Plantio às margens do Rio Sorocaba celebra o Dia da Árvore em Votorantim


 

A Prefeitura de Votorantim, por meio da Secretaria de Meio Ambiente (Sema), promoveu na manhã deste domingo (21) o plantio de 60 mudas de árvores nativas e frutíferas, às margens do Rio Sorocaba. A ação que celebra o Dia Mundial da Árvore contou ainda com a participação do grupo de escoteiros "Vuturaty" e de munícipes.

O plantio de mudas que tem como objetivo a recuperação da mata ciliar, marca ainda o encerramento da Semana Municipal de Meio Ambiente, quando várias ações ambientais foram realizadas durante a semana.

As árvores foram plantadas no trecho que compreende a Avenida Vereador Newton Vieira Soares. Priorizou-se o plantio das árvores frutíferas nativas ao longo das margens do Rio Sorocaba para que além do estabelecimento de um corredor ecológico e do controle na erosão, as árvores possam disseminar sua sementes rio abaixo e alimentar a fauna aquática com seus frutos.

A primeira muda foi plantada pelo garoto Caio Almeida Costa, 7 anos, que estava acompanhado dos pais. Caio que plantou uma muda de ipê amarelo disse que é a primeira árvore que planta e pretende fazer o acompanhamento da planta, que está situada ao lado da pista de skate.

O Secretário de Meio Ambiente, Carlos Alberto Leite, que também acompanhou o plantio disse que a realização dos plantios é uma grande preocupação do município que está engajado nessas ações bem como o da recuperação das matas ciliares. "Não poderíamos deixar de celebrar essa data tão importante com o plantio de mudas às margens do rio", disse.

O chefe do Grupo de Escoteiros, Tadeu Gomes, disse que o grupo tem colaborado com todas as ações realizadas pela Secretaria do Meio Ambiente, "Estamos sempre juntos e apoiando todas as ações ambientais que são realizadas em nossa cidade", conclui.

21/09/2014


--
Secom Votorantim

Leia na íntegra a 86ª edição da Gazeta de Votorantim

Gazeta de Votorantim 86 by Taryn Fox

Funcionários do Hospital Municipal confirmam greve

Jornal Cruzeiro do Sul
Leandro Nogueira


70% dos trabalhadores devem cruzar os braços amanhã, a partir das 14h 


Milton Sanches, presidente do SindSaúde - ADIVAL B. PINTO




Está mantida para amanhã a greve dos funcionários que trabalham no Hospital Municipal de Votorantim, administrado até o momento pela Santa Casa de Votorantim. Não houve acordo entre as partes na reunião no Ministério Público do Trabalho (MPT) na sexta-feira, segundo informou na tarde de ontem o vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Saúde do Estado de São Paulo (SindSaúde), Elielson Farias. De acordo com o presidente do SindSaúde, Milton Sanches, a greve deve iniciar a partir de assembleia com os trabalhadores, marcada para amanhã, às 14h. O SindSaúde está na expectativa para que haja um acordo e assim os trabalhadores não precisem paralisar. Caso a paralisação ocorra, 70% dos trabalhadores devem cruzar os braços.

O vice-presidente do SindSaúde, Elielson Farias, explicou que na reunião do MPT na sexta-feira, com o procurador Bruno Augusto Ament, o secretário de negócios jurídicos da Prefeitura de Votorantim recusou o acordo para que a Prefeitura pague os 40% da multa referente à demissão dos 148 funcionários da Santa Casa. A partir de terça-feira o Hospital de Votorantim será administrado pelo Instituto Moriah, mas os trabalhadores da Santa Casa, que podem ser admitidos pelo Instituto, não tem como ser demitidos, já que a Santa Casa alega não possuir todos os recursos para rescindir os contratos trabalhistas. E segundo informa o sindicato, o Instituto Moriah afirmou que na terça-feira, data que assume o hospital, terá outros 148 trabalhadores para garantir o atendimento.

Ainda de acordo com Elielson, anteriormente o prefeito de Votorantim, Erinaldo Alves da Silva (PSDB), teria informado que aceitaria pagar a indenização de 40%, já que a Prefeitura é responsável solidária, pois o hospital é municipal. Mas durante a reunião no MPT, segundo Elielson, o secretário jurídico da Prefeitura de Votorantim manifestou que aguardará uma decisão da Justiça para que o município assuma a indenização, já que neste momento não teria embasamento jurídico para isso. Ontem a reportagem não conseguiu entrar em contato com a Prefeitura de Votorantim, mas em reportagem publicada pelo jornal Cruzeiro do Sul no último dia 18, o prefeito Erinaldo Alves da Silva (PSDB) informou que não poderia usar dinheiro público sem autorização legal.

Traída com a situação

Chorando, na tarde de ontem por telefone, a fisioterapeuta Viviane de Cassia Godinho, 39 anos, disse se sentir muito traída com a situação. Ela relatou que começou a trabalhar na parte da higiene do hospital há cerca de oito anos, recebeu incentivo de toda a equipe para estudar e há 16 meses atua como fisioterapeuta. "Há sete meses eu não poderia imaginar que a gente pudesse passar por tudo isso. É como se a gente fosse descartável e ninguém devesse dar satisfação alguma para a gente", declarou, sobre o temor de ficar desempregada e sem os direitos trabalhistas.

"Achamos um absurdo, a reunião no MPT estava agendada para a sexta-feira, conversamos com o MPT e o prefeito não aceitou fazer o TAC", afirmou o presidente do SindSaúde, Milton Sanches. Ele também recordou que em Sorocaba, quando o Instituto Moriah assumiu o Hospital Psiquiátrico Vera Cruz, a Prefeitura de Sorocaba assumiu os custos trabalhistas por meio de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público do Trabalho.

O sindicato preocupa-se com o possível desemprego dos 148 trabalhadores da Santa Casa, se não houver a rescisão até o momento que o Instituto Moriah assumir, já que o instituto tem condições de atuar com outros trabalhadores.

sábado, 20 de setembro de 2014

Trabalhadores da Santa Casa de Votorantim poderão iniciar greve


Gazeta de Votorantim
Luciana Lopez
 
 Funcionários se reuniram em assembleia na porta do hospital
Foto: Luciana Lopez

A partir da próxima segunda-feira (22), os funcionários que trabalham no Hospital Municipal Lauro Roberto Fogaça, em Votorantim, poderão dar início a uma greve por tempo indeterminado. Contratados pela Irmandade Santa Casa de Votorantim, 148 funcionários da unidade de saúde reivindicam seus direitos trabalhistas, uma vez que a Irmandade não irá mais gerir o hospital a partir de terça-feira (23). O presidente do Sindicato Único dos Trabalhadores da Saúde de Sorocaba (Sinsaúde), Milton Sanches, explica que os trabalhadores estão apreensivos com relação ao futuro profissional. A principal queixa é que até ontem (19) nenhum deles havia recebido um aviso prévio de demissão e teriam um futuro incerto a partir de terça-feira (23).

Na terça-feira quem assume a gestão da unidade é a Organização Social Instituto Moriah, vencedora do processo de seleção da Prefeitura de Votorantim iniciado no final do ano passado. Em entrevista recente à Gazeta de Votorantim, o Instituto informou que tem interesse em contratar os atuais funcionários.

A fisioterapeuta Viviane de Cássia G. S. Góes, 39 anos, trabalha há 1 ano e 8 meses no Hospital Municipal e está aflita com o impasse. “Além de não receber minha rescisão, ainda tenho um futuro incerto, pois caso o novo gestor me convidasse para continuar trabalhando no hospital, eu não poderia aceitar, pois na minha carteira de trabalho ainda consta meu emprego na Santa Casa”, disse Viviane.

A Irmandade Santa Casa de Votorantim alega que não possui recursos suficientes para arcar com todos os encargos trabalhistas, valor estimado em cerca de R$ 1,3 milhão, e espera que a Prefeitura de Votorantim disponha do valor necessário, uma vez que possui um contrato de gestão do hospital público, o qual a Prefeitura deve ser “solidária” e assumir a despesa.

O prefeito de Votorantim, Erinaldo Alves da Silva, por sua vez, alegou na última quarta-feira (17) que não pode dispor desse recurso financeiro sem que haja uma autorização judicial. “A prefeitura não pode dispor de recursos para fazer essa indenização, nós temos um contrato e por esse contrato as responsabilidades trabalhistas são da Santa Casa, e a prefeitura não está com nada atrasado. Para a prefeitura poder entrar nesse processo e dispor de recursos será em decorrência de uma decisão de solidariedade, e nós precisamos de decisão judicial para que a prefeitura possa participar disso”, disse o prefeito.

De acordo com o provedor da Irmandade Santa Casa de Votorantim, Francisco Araújo, e o assessor jurídico da entidade, Lázaro de Góes Vieira, a Irmandade solicitou junto ao Ministério Público do Trabalho uma audiência a fim de solucionar o caso. A reunião estava prevista para acontecer no próximo dia 26, porém foi adiantada para ontem à tarde, graças ao empenho do Sinsaúde. Na audiência compareceram representantes do Sinsaúde, Sindicato dos Enfermeiros, Instituto Moriah, Irmandade Santa Casa e Prefeitura de Votorantim, além do procurador do trabalho Bruno Augusto Ament.

De acordo com Minton Sanches, do Sinsaúde, a Prefeitura de Votorantim não aceitou a realização de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para dispor seus recursos, alegando que só pagaria as rescisões após uma decisão judicial e para tanto, os trabalhadores terão que ingressar com ação judicial. “Nós tínhamos uma expectativa que o prefeito fosse mais solícito, mas para nossa surpresa o departamento jurídico da prefeitura achou melhor não fazer o TAC. Estamos mobilizados para solucionar este caso, pois a prefeitura é a dona do negócio e são 148 famílias que estão sofrendo a consequência da inconsequência desse ato. Votorantim nunca mais esquecer a reação destes trabalhadores”, adverte Sanches.

Já o provedor da Santa Casa garante que não descansará enquanto não resolver o impasse. “Não estamos medindo esforços para solucionar esta questão, não queremos chegar ao ponto de uma greve porque isso prejudicaria também os pacientes e as futuras mamães. Também não queremos que a decisão seja litigiosa, em respeito aos nossos funcionários, uma vez que alguns estão há 14 anos se dedicando a Irmandade Santa Casa. Continuamos acreditando em Deus para que os homens do comando sejam sensibilizados e não deixem chegar ao ponto de consequências como essas”, disse Araújo. Ele ainda fez questão de elogiar a postura do procurador. “Achei que ele foi muito lúcido e imparcial”, comentou.

Plano B

Questionada, a Prefeitura de Votorantim não respondeu se possui um plano emergencial planejado para caso ocorra uma greve nesta segunda-feira. Em caso de greve, 30 % dos funcionários deverão permanecer em seus postos de trabalho.

Manifestação

Na tarde da última quarta-feira (17), funcionários da Santa Casa realizaram uma manifestação pelas ruas centrais da cidade. Após uma assembleia realizada na porta do hospital, eles decidiram seguir em passeata até o Paço Municipal. A via em direção à Sorocaba ficou com o trânsito interrompido por alguns minutos e um carro de som do Sindicato da categoria acompanhou o grupo. Já no Paço, uma comissão formada por alguns funcionários e representantes do Sindicato participou de uma reunião com o prefeito Erinaldo Alves da Silva, que alegou aguardar amparo legal para resolver o impasse.

Na sequência, os trabalhadores decidiram entrar com um aviso de greve. Assembleias foram realizadas diariamente entre os dias 16 e 19 e prosseguirão a partir de segunda-feira próxima, data em que eles também pretendem realizar manifestações em vias públicas e na Câmara de Votorantim, durante a sessão legislativa.


publicado na edição n° 86 de 20 a 26 de setembro de 2014 do Jornal Gazeta de Votorantim, na página 7

TVV e TVC exibem inauguração do Atlético Club

Gazeta de Votoratim

Atlético Club fez uma grande festa de inauguração

A equipe da TV Votorantim (TVV) acompanhou a inauguração do Atlético Club de Votorantim, ocorrida no último sábado (13), e o evento será tema de um programa especial comandado por Valquíria Teixeira, que será exibido pela TV Comunitária de Votorantim (Canal 3 da Supermídia) hoje (20) às 13h30 e amanhã (21) às 22h e pela TV Votorantim (Canal 10 da Supermídia) hoje às 21h30 e amanhã às 16h. O canal 10 também pode ser assistido pela internet, através do site www. tvvotorantim.com.br.

Greve da Santa Casa é mantida para 2ª feira

Jornal Cruzeiro do Sul

Está mantida para a próxima segunda-feira a greve dos funcionários do Hospital de Votorantim, gerido até o momento pela Santa Casa de Votorantim. Não houve acordo entre as partes na reunião no Ministério Público do Trabalho na sexta-feira, segundo informou na tarde de ontem o vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Saúde do Estado de São Paulo (SindSaúde), Elielson Farias. Segundo Elielson, o secretário de negócios jurídicos da Prefeitura de Votorantim recusou a pagar os 40% da multa referente a demissão dos 148 funcionários da Santa Casa. A partir da terça-feira o Hospital de Votorantim será administrado pelo Instituto Moriah, mas os trabalhadores atualmente contratados pela Santa Casa não foram demitidos até o momento porque a entidade não possui todos os recursos para reinscidir os contratos trabalhistas.

Casal de deficientes mostra superação em ensaio fotográfico

http://www.itu.com.br
Por Jéssica Ferrari

 Registro do fotógrafo Samuel Bruni é marcado pela alegria.

Bruno e Flávia conversam em libras
Samuel Bruni

Eles se comunicam com os olhos, com sinais e principalmente através do amor. Fortes, superam diversas barreiras com o auxílio um do outro. Ela não anda, ele não ouve. E juntos provam que a maior deficiência de um ser humano é não amar.
O namoro do jovem casal Flávia V. Lima e Bruno Hernandes foi registrado pelas lentes do fotógrafo Samuel Bruni, num ensaio fotográfico realizado nas ruas de Sorocaba, no dia 30 de agosto. O objetivo foi divulgar a história de superação do casal, através de fotografias que revelam a naturalidade com que eles encaram as deficiências que possuem.
Foram mais de 250 fotos tiradas em meio às paisagens diurnas e noturnas da cidade, em diversas poses, celebrando o primeiro aniversário de namoro dos jovens. “Os dois se completam, e eu tentei transmitir isso nas fotos. As dificuldades não são suficientes para acabar com a alegria e o poder que eles têm de fazer qualquer coisa.”, conta Bruni.
O ensaio é um projeto pessoal do fotógrafo ituano, que percebeu na história de Flávia, que é cadeirante, e de Bruno, que é surdo, uma maneira de promover a reflexão sobre as deficiências, demonstrando as dificuldades deles. Mas que se surpreendeu ao descobrir que estes obstáculos são, para os dois, apenas uma pequena vírgula no caminho.
“Nós não vemos nada de diferente nas nossas dificuldades com as dificuldades alheias. Pelo contrário, nós sempre agradecemos a Deus por nossa vida fácil. Acreditamos que nossas maiores barreiras são nossos defeitos pessoais, que não têm absolutamente nenhuma ligação com limitação física. São apenas defeitos, desses que todo mundo têm, e que criam problemas na vida”, relata Flávia. Confira o depoimento completo!
Com as fotografias, o casal que mora em Votorantim, busca compartilhar com a sociedade um pensamento otimista que nasceu numa relação que tinha tudo para ser complicada, mas que se supera a cada dia. “Eu ficava pensando em como agir antes do ensaio”, confessa o fotógrafo. No entanto, no momento das fotos o trabalho fluiu naturalmente. “A cadeira não é um empecilho para ela, por isso não aparece em muitas fotos”, explica. Segundo ele, fotografar estes jovens foi como fotografar qualquer casal feliz.
Flávia e Bruno se conheceram na faculdade. Apaixonada, ela buscou aprender libras para conseguir se comunicar e ajudá-lo nas matérias. A dedicação se transformou em namoro, e hoje os dois lutam juntos por direitos iguais aos portadores de deficiência. O contraste no modo de ver a vida marca a história destes jovens, e pode ser comprovado a cada sorriso que eles abrem.
Veja algumas das fotos do ensaio clicando aqui!

Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência
O Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência é celebrado em 21 de setembro. A data, oficializada em 2005 por meio da Lei 11.133, busca principalmente a reflexão sobre a importância da inclusão social.

Ouça a Rádio Cultura Votorantim